Todos os artigos > Você prefere algo eficiente, eficaz ou efetivo?
Você prefere algo eficiente, eficaz ou efetivo?
Quando vamos avaliar o desempenho de qualquer coisa (pode ser de alguma pessoa, da organização como um todo, de um projeto, de um produto, etc.), usamos como base os 3 Es da administração: eficiência, eficácia e efetividade. Esses três termos costumam confundir bastante as pessoas porque se relacionam entre si e ainda parecem semelhantes, mas …

Você prefere algo eficiente, eficaz ou efetivo?

Publicado: 02.08.2019 - 13:00, por eCompare.com.br

Quando vamos avaliar o desempenho de qualquer coisa (pode ser de alguma pessoa, da organização como um todo, de um projeto, de um produto, etc.), usamos como base os 3 Es da administração: eficiência, eficácia e efetividade. Esses três termos costumam confundir bastante as pessoas porque se relacionam entre si e ainda parecem semelhantes, mas …

Quando vamos avaliar o desempenho de qualquer coisa (pode ser de alguma pessoa, da organização como um todo, de um projeto, de um produto, etc.), usamos como base os 3 Es da administração: eficiência, eficácia e efetividade.

Esses três termos costumam confundir bastante as pessoas porque se relacionam entre si e ainda parecem semelhantes, mas eles têm significados bastante diferentes.

Quer entender melhor as diferenças e aprender a utilizar de forma correta esses termos? Então confira o artigo!

Definição dos conceitos

Para ficar mais fácil de compreender a diferença entre esses termos, vamos dar um exemplo. Imagine que você é dono de uma empresa que produz forno industrial e possui três funcionários responsáveis por projetar esse produto com foco nos doceiros. Chamaremos eles de:

Marco, Francisco e Jorge.

Cada um desses funcionários precisava apresentar um projeto que ajudasse na produtividade dos doceiros.

Os três apresentaram um forno que possuía ferramentas importantes para o doceiro. Alguns exemplos são: tampa de vidro e luz que ajuda a observar o processo, timer para avisar quando desse o tempo (assim ele poderia fazer outras tarefas sem ficar olhando o relógio constantemente).

Além disso, o forno também contava com aquecimento superior e inferior para aquecer o espaço inteiro de forma igual. Ele tinha também uma tampa que abria e fechava sem muito impacto e com alguns facilitadores que ajudariam quando o profissional estivesse com as mãos ocupadas.

Ademais, foi estipulado a eles um valor médio que poderia ser investido em cada peça e o tempo médio de produção.

Marco

Além de cumprir com o objetivo proposto, Marco conseguiu otimizar os processos de trabalho e reduzir os custos. Ele também diminuiu tempo de produção e a quantidade de matéria-prima, o que acabou gerando economia para a empresa.

Francisco

Francisco, por sua vez, mostrou um produto de muita qualidade que utilizava todos os recursos disponíveis. O valor gasto também foi exatamente aquele estipulado no orçamento e dentro do tempo pretendido para fabricação.

Jorge

Por fim, o projeto de Jorge mesclava tanto a redução de custo e tempo de operação com qualidade.

Veja, a seguir, como essa história se relaciona com 3 Es da administração.

1. Eficiência

Conforme o exemplo acima, podemos dizer que Marco foi eficiente, porque ele produziu o que era esperado e obteve um bom produto utilizando uma quantidade menor de recursos (tempo, dinheiro, material, etc.).

Ou seja, a eficiência está diretamente relacionada ao processo (o meio do caminho). Ela também possui foco interno e refere-se aos custos. Podemos resumir esse conceito em “custo-benefício”.

2. Eficácia

Francisco seria o criador do projeto eficaz, porque apresentou aquilo que devia ser apresentado. Isso é: um produto impecável e de qualidade, com todos os detalhes exigidos, utilizando os recursos disponíveis e calculando o tempo de fabricação conforme o que foi estipulado anteriormente.

Ou seja, a eficácia possui foco externo e refere-se ao resultado (ao produto em si).

3. Efetividade

Por fim, chegamos ao último projeto. Jorge apresentou um produto mais otimizado e que gerava economia para a empresa (eficiente), mas sem perder nada de qualidade no produto final (eficaz).

Em resumo, ele fez a coisa certa de forma certa, por isso o projeto é considerado efetivo. Aqui, os dois lados saem ganhando (tanto a empresa quando o consumidor final).

Conclusão

Entender a diferença existente entre esses três conceitos é extremamente importante. Isso porque eles estão presentes em todos os lugares: no dia a dia de uma organização, na forma que uma pessoa trabalha, na funcionalidade de um produto, entre outros.

Independentemente da área que você atua ou de você irá empregar esses termos, eles ajudarão a avaliar o que está sendo produzido e entregue (tanto bens materiais como imateriais).