Todos os artigos > Owens Illinois e Polen fecham parceria que deve ampliar a reciclagem de embalagens de vidro pós-consumo
Owens Illinois e Polen fecham parceria que deve ampliar a reciclagem de embalagens de vidro pós-consumo
A fabricante de embalagens de vidro Owens Illinois (O-I) e a startup de sustentabilidade para resíduos Polen firmaram parceria que vai permitir a ampliação do uso de cacos na produção de novas embalagens. Por meio de um marketplace voltado à compra e venda de resíduos, a fabricante poderá adquirir de forma rápida e …

Owens Illinois e Polen fecham parceria que deve ampliar a reciclagem de embalagens de vidro pós-consumo

Publicado: 02.04.2019 - 19:06, por eCompare.com.br

<!-- --> A fabricante de embalagens de vidro Owens Illinois (O-I) e a startup de sustentabilidade para resíduos Polen firmaram parceria que vai permitir a ampliação do uso de cacos na produção de novas embalagens. Por meio de um marketplace voltado à compra e venda de resíduos, a fabricante poderá adquirir de forma rápida e …

<!--

-->

A fabricante de embalagens de vidro Owens Illinois (O-I) e a startup de sustentabilidade para resíduos Polen firmaram parceria que vai permitir a ampliação do uso de cacos na produção de novas embalagens. Por meio de um marketplace voltado à compra e venda de resíduos, a fabricante poderá adquirir de forma rápida e sem atravessadores maior volume de insumo reciclável. O objetivo é que, juntas, as quatro fábricas da O-I no Brasil captem ao menos 500 toneladas de caco adicionais por mês. As plantas estão distribuídas em São Paulo (1), Rio de Janeiro (1) e Pernambuco (2).

A captação de cacos é um dos desafios que a indústria enfrente hoje para a reciclagem e fabricação de novas embalagens de vidro a partir daquelas descartadas. Por ser 100% natural, o vidro não sofre perdas durante o processo de reciclagem, ou seja, um quilo de caco transforma-se em um quilo de vidro novo, com menos uso de energia, o que torna o processo ainda mais sustentável. “A produção a partir do caco é limpa e gera ganhos para o fabricante, para os clientes e para o planeta. Como líderes de mercado, somos também a maior compradora de cacos do País e temos capacidade para comprar ainda mais”, comenta Lúcia Moreira, coordenadora de sustentabilidade da O-I.

Dados do setor mostram que a cada 10% de cacos utilizados, o consumo de energia é reduzido em cerca de 3%, enquanto que as emissões de CO2 caem 5% comparadas a produção de embalagens a partir de matérias-primas virgens. “O uso da plataforma da Polen é um importante passo para alcançarmos nossa meta global de reciclagem que é chegar a 50% da produção de embalagem originária de cacos até 2025. Atualmente, 30% das nossas embalagens são feitas a partir de vidro reciclado. Essa nova parceria vai nos ajudar a vencer uma das grandes barreiras para a reciclagem de vidro hoje, que é o transporte dos cacos às nossas fábricas”, explica Lúcia Moreira.

Renato Paquet, fundador e CEO da Polen, diz que o processo de venda e compra de caco pelas empresas recicladoras ganhará agilidade: “Nosso negócio transforma resíduos em oportunidade. Unimos geradores que buscam vender seus resíduos e compradores que demandam desses insumos, sejam eles de pequeno, médio ou grande porte”. Após a compra, a entrega dos cacos será feita na fábrica da O-I mais próxima do local de emissão, por cooperativas e empresas homologadas pela startup.

A nova parceria se soma a outras ações da O-I para reciclagem de vidro. Atualmente, a empresa conduz um projeto socioambiental no Complexo da Mangueira, no Rio de Janeiro, em que recompensa com cestas básicas os moradores que vendam até 500 quilos de embalagem de vidro usadas. Também é parceira no projeto Glass Is Good, da Diageo, em que embalagens da marca recolhidas por estabelecimentos comerciais em diversas regiões do Brasil são destinadas à reciclagem na O-I. No último ano, a indústria deu início ainda a uma parceria com o Instituto Ecozinha para captação de embalagens descartadas por bares e restaurantes no Distrito Federal. Além disso, a O-I compra cacos de diversas cooperativas de reciclagem e organizações comunitárias próximas das suas unidades fabris.