Todos os artigos > Movimentação de cargas sob a ótica da gestão logística e de risco integradas
Movimentação de cargas sob a ótica da gestão logística e de risco integradas
As rodovias são o principal meio para a distribuição de mercadorias no Brasil. Quase 70% dos produtos que circulam no país dependem das estradas para chegar ao destino. Gerenciar a operação, do embarque à entrega, não é tarefa fácil. Por isso, o setor de transporte e logística vem apostando na contratação de empresas especializadas para …

Movimentação de cargas sob a ótica da gestão logística e de risco integradas

Publicado: 08.07.2019 - 14:04, por eCompare.com.br

As rodovias são o principal meio para a distribuição de mercadorias no Brasil. Quase 70% dos produtos que circulam no país dependem das estradas para chegar ao destino. Gerenciar a operação, do embarque à entrega, não é tarefa fácil. Por isso, o setor de transporte e logística vem apostando na contratação de empresas especializadas para …

As rodovias são o principal meio para a distribuição de mercadorias no Brasil. Quase 70% dos produtos que circulam no país dependem das estradas para chegar ao destino. Gerenciar a operação, do embarque à entrega, não é tarefa fácil. Por isso, o setor de transporte e logística vem apostando na contratação de empresas especializadas para gerenciar a eficiência da operação, desde aspectos logísticos, fluidez e visibilidade até questões ligadas à prevenção de acidentes e roubos.

Uma das alternativas é contar com parceiros experientes para gerenciar os riscos e fazer a gestão dos processos. Com soluções para atender embarcadores, transportadores e operadores logísticos, a Opentech oferece tecnologia e gestão para auxiliar em todas as etapas da movimentação de cargas, além de ajudar na prevenção de acidentes rodoviários e na redução dos índices de roubo de mercadorias e de perdas logísticas geradas pelos custos com estadias, devoluções e problemas com atraso nas entregas.

De acordo com um estudo da BSI Supply Chain Services and Solutions, no primeiro semestre de 2018 o Brasil concentrou 90% das ocorrências de roubos de cargas entre os países da América do Sul. Apesar das estatísticas preocupantes, há boas notícias para as empresas que utilizam o serviço de gerenciadoras de risco.

Em 2018, a Opentech obteve queda de 25% no índice de roubos em comparação ao ano anterior. Em relação aos roubos que não puderam ser evitados, quase 60% das cargas foram recuperadas. Neste ano, entre os meses de janeiro e junho, a empresa já impediu inúmeros roubos de cargas com produtos cosméticos, farmacêuticos, defensivos agrícolas, alimentos, eletrônicos, pneus e outros bens de consumo, ultrapassando R$ 30 milhões em valor de cargas recuperadas.

Assim como a ação das quadrilhas, os acidentes também preocupam e demandam investimentos em prevenção e em ações de gerenciamento de risco. Entre as operações monitoradas pela Opentech, mais resultados positivos com clientes de diferentes segmentos. Entre os exemplos, no setor automobilístico, projetos há 5 anos sem acidentes e uma multinacional de cimentos com redução de 30% nos indicadores de falhas operacionais nos últimos 2 anos.

Segundo Duani Reis, CEO da Opentech, as empresas querem enxergar seus desafios operacionais em uma plataforma única, integrando gestão de risco e logística. “A visibilidade é fundamental para o sucesso e a eficiência das operações no setor de transporte. Em ambientes competitivos, a diferenciação vem dos detalhes. Buscamos equilibrar novas tecnologias, pessoas de alto nível e bons processos em uma combinação única. Aqui dizemos ‘Sua carga, nossa missão’ porque queremos que os clientes tenham a certeza do nosso compromisso e zelo com o sucesso das suas operações”, afirma.

Para saber mais sobre a Opentech e seu portfólio de soluções, acesse www.opentechgr.com.br.