Todos os artigos > Micro-momentos: o que são e como influenciam na jornada de compra?
Micro-momentos: o que são e como influenciam na jornada de compra?
Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir Você sabe o que são micro-momentos e o motivo deles serem tão essenciais na hora de atrair a atenção do potencial cliente? As empresas que entendem o comportamento do potencial cliente em cada etapa da jornada de …

Micro-momentos: o que são e como influenciam na jornada de compra?

Publicado: 16.04.2019 - 11:36, por eCompare.com.br

Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir Você sabe o que são micro-momentos e o motivo deles serem tão essenciais na hora de atrair a atenção do potencial cliente? As empresas que entendem o comportamento do potencial cliente em cada etapa da jornada de …

Share on Facebook Compartilhar

Share on Twitter Compartilhar

Share on Linkedin Compartilhar

Send email E-Mail

Print this Imprimir

Você sabe o que são micro-momentos e o motivo deles serem tão essenciais na hora de atrair a atenção do potencial cliente? As empresas que entendem o comportamento do potencial cliente em cada etapa da jornada de compra conseguem suprir as demandas do usuário com o material certo no momento específico e, dessa forma, aumentarão as chances de se destacar nos resultados de busca. Portanto, é preciso utilizar esse recurso para melhorar as iniciativas de marketing. Continue lendo esse artigo para saber mais sobre esses micro-momentos!

O que são micro-momentos?

Os micro-momentos são todos os pequenos momentos da jornada de compra do cliente que está diretamente relacionada com a formação de preferências e a intenção de tomada de decisão. O detalhe curioso é: na maioria das vezes, esses micro-momentos são estimulados pelo uso do smartphone – isso se deve ao fato de que vivemos em uma sociedade altamente conectada e que exige agilidade e imediatismo nas ações, além de informações ilimitadas.

Isso prova que nós mudamos a nossa forma de consumir: antes, tínhamos que esperar chegar em casa ou no escritório, acessar o Google pelo desktop e, depois, realizar a pesquisa – isso se a gente não esquecesse o assunto. Agora, não existe mais hora certa para comprar: qualquer hora é hora, qualquer dia é dia, qualquer lugar é lugar! As decisões de compra são tomadas, na maioria das vezes, de forma impulsiva e de acordo com necessidades do momento – e a chance de esquecermos o que queremos procurar é bem menor.

Para melhor compreender o que são micro-momentos, imagine a seguinte situação: um grupo de cabeleireiros está reunido para discutir quais são os melhores produtos para tingir o cabelo. Em um dado momento, um dos profissionais menciona que existe um produto novo, chamado ABC, que possui uma série de benefícios além de uma forma de aplicação inédita.

O cabeleireiro falava tão bem sobre o produto que convenceu os outros a procurar saber mais sobre ele, afinal, estavam em uma roda de pessoas conhecidas e que entendiam do assunto, então, passou segurança o suficiente a ponto de instigar os demais.

A primeira reação dos profissionais para pesquisar sobre a tintura ABC foi pegar o celular e procurar no Google sobre o produto: resenhas, avaliações, instruções, explicação do fabricante, vídeos de outros cabeleireiros, etc.

Alguns profissionais se interessaram tanto pelo produto, que quiseram ir atrás dele no mesmo dia, dessa forma, pesquisaram mais uma vez aonde era possível encontrá-lo próximo ao local onde estavam.

Uma outra parcela do grupo resolveu que comprariam pela internet, afinal, é muito mais cômodo e prático. Assim, entraram em e-commerces de cosméticos, escolheram as cores e finalizaram a compra enquanto ainda rolada a discussão sobre esse produto.

O curioso é que todos os cabeleireiros que estavam ali presentes e que se interessaram pelo produto ABC foram atrás de vídeos de outros profissionais confiáveis e do próprio vídeo institucional para saber se a tintura era aplicada de forma diferente mesmo e como era realizada.

Esse exemplo mostra bem duas coisas: primeiro, como o uso do celular se tornou essencial na hora de comprarmos ou procurarmos informações e, segundo, define bem as quatro classificações dos micro-momentos propostas pelo Google: “eu quero saber/conhecer”, “eu quero ir”, “eu quero comprar” e “eu quero fazer” – falaremos detalhadamente sobre cada um desses assuntos no tópico a seguir.

Quais são micro-momentos?

Segundo o Google, podemos classificar os micro-momentos em:

1. “I want to know” (eu quero saber/conhecer): esse momento se aplica a aqueles consumidores que querem ter mais informações sobre o assunto que ouviu em algum lugar, seja para estudo, conhecimento geral ou trabalho. Usando o nosso exemplo inicial, o grupo que pegou o celular para pesquisar sobre a tintura ABC estaria exatamente nessa etapa.

2. “I want to go” (eu quero ir): sendo bastante redundante, esse momento refere-se à intenção do consumidor em ir até algum lugar e que tenha o que ele precisa, para isso, recorre ao Google para pesquisar sobre locais próximos, como chegar, horário de funcionamento, etc. No caso do nosso exemplo, estaria nesse momento o grupo de profissionais que procuraram por lojas de cosméticos próximas de onde estavam e que possuíam o produto.

3. “I want to buy” (eu quero comprar): esse é o momento que as lojas virtuais mais gostam, justamente por saberem que é aqui que os potenciais clientes com intenção de compra estão concentrados. Geralmente, os consumidores pesquisam coisas específicas com intenção de comparar preços e lojas para optar pela compra. No nosso exemplo sobre a reunião dos cabeleireiros, aqui estaria o grupo que foi comprar os produtos online – provavelmente pesquisaram usando “tintura ABC empresa DEF”, porque eles sabem o que querem (estão mais avançados na jornada de compra).

4. “I want to do” (eu quero fazer): no nosso exemplo, mencionamos que todos foram atrás de vídeos para saber como o produto funcionava na prática, certo? Esse momento é o deles! São as pessoas que estão em busca de mais informações sobre a atividade. Na maioria das vezes, recorrem aos vídeos por serem de fácil consumo (pode ser para aprender algo novo, tutorial de “faça você mesmo”, vídeo marketing, entrevistas com profissionais, enfim, existem inúmeras maneiras de se utilizar um vídeo).

Como usar os micro-momentos no Marketing?

Podemos perceber que os micro-momentos revolucionaram a forma como pesquisamos e consumimos. O papel das empresas, nesse cenário, é se fazer presente nesses momentos de forma relevante. E como fazer isso?

Primeiro, deve-se conhecer muito bem o público-alvo, descobrir como é a jornada deles, quais termos eles mais utilizam na hora de realizar a busca e analisar quais as intenções que existem por trás dessas pesquisas.

E, segundo, ao identificar um padrão de comportamento, é possível tirar melhor proveito disso e produzir conteúdo que seja de fato útil para atrair usuários em cada um dos momentos citados (teremos ações de marketing mais direcionadas).

Conclusão

Como agora você já sabe o que são micro-momentos e a relação deles com os smartphones, devemos alertá-lo que: é preciso certificar-se de que seu e-commerce possui uma versão mobile. Não adiantará nada ter “o conteúdo certo, na hora certa e no lugar certo” se a sua loja virtual não proporciona a melhor experiência de compra do potencial cliente.