Todos os artigos > Fintech facilita captação de crédito para empreendedores
Fintech facilita captação de crédito para empreendedores
Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir Atualmente existem mais de 377 fintechs operando no Brasil – e esse número deve crescer. Pelo menos é o que diz a Pesquisa Fintech Deep Dive 2018, realizada pela PwC em uma parceria com a ABFintechs. Segundo essa …

Fintech facilita captação de crédito para empreendedores

Publicado: 27.03.2019 - 14:13, por eCompare.com.br

Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir Atualmente existem mais de 377 fintechs operando no Brasil – e esse número deve crescer. Pelo menos é o que diz a Pesquisa Fintech Deep Dive 2018, realizada pela PwC em uma parceria com a ABFintechs. Segundo essa …

Share on Facebook Compartilhar

Share on Twitter Compartilhar

Share on Linkedin Compartilhar

Send email E-Mail

Print this Imprimir

Atualmente existem mais de 377 fintechs operando no Brasil – e esse número deve crescer. Pelo menos é o que diz a Pesquisa Fintech Deep Dive 2018, realizada pela PwC em uma parceria com a ABFintechs. Segundo essa pesquisa, o cenário brasileiro está favorável para a operação dessas empresas, graças ao grau de inovação que elas estão promovendo no setor financeiro.

O especialista Fábio Neufeld, líder da vertical de crédito da ABFintechs e CEO da Kavod Lending, afirma. “Com ajuda do Banco Central e com o sucesso das fintechs, a população vai aos poucos ganhando confiança e reconhecendo a idoneidade e as vantagens proporcionadas ao consumidor.”

Dentre os diversos benefícios tecnológicos que essas empresas trouxeram, os mais populares são: transações bancárias, que podem ser realizadas via smartphone; aplicativos de consulta e controle de gastos pessoais; sistemas inteligentes de pagamento para e-commerces e marketplaces; e plataformas de empréstimo online com menores juros – que discutiremos neste artigo.

O ecossistema empreendedor brasileiro e as fintechs

Durante a crise econômica do Brasil, o número de pequenos empreendedores cresceu em ritmo considerado, sendo uma alternativa encontrada por muitos para fugir do desemprego. De acordo com o Sebrae, 11 milhões de empresas foram criadas no País nos últimos anos por pessoas que estavam em busca de trabalho.

Contudo, um impeditivo comum para o surgimento de novos negócios se dá pela pouca quantidade de opções de crédito que facilitem o progresso do empreendimento. Muitos empreendedores encontram uma série de dificuldades para conseguir empréstimos com instituições financeiras tradicionais devido às altas taxas de juros e burocracias.

Um outro estudo feito pelo Sebrae relatou que 84% das micro e pequenas empresas não possuem acesso às linhas de financiamento, que são, geralmente, disponibilizadas para grandes ou já consolidados negócios. Neste cenário, as fintechs ganham destaque por atender a essa demanda de mercado fornecendo mais tecnologia e menos burocracias, além de oferecer modalidades de serviço que viabilizem o acesso às menores taxas.

Algumas fintechs de crédito com garantia, por exemplo, promovem linhas de crédito com taxas que podem chegar a 1,15% ao mês, devido a este modelo de empréstimo, que utiliza algum bem (como um imóvel ou veículo) como garantia do pagamento das parcelas.

Nessa modalidade de crédito, ao colocar um bem como garantia do pagamento das parcelas, o risco de inadimplência é reduzido devido ao comprometimento contratual com as prestações.

Isso permite a liberação de taxas mais baixas, parcelas menores e um maior prazo de pagamento. Esse tipo de crédito é muito popular na Europa e nos Estados Unidos, onde, por exemplo, cerca de US$ 10 trilhões foram concedidos em crédito aos americanos para financiamento ou refinanciamento de imóvel.

O crédito com garantia como opção para empreender

Por proporcionar taxas de juros mais baratas e parcelas menores, o empréstimo com garantia (ou refinanciamento) tem sido a escolha de muitas pessoas que buscam empreender ou investir em um negócio que já existe.

De acordo com uma análise realizada pela fintech Creditas, o segundo maior motivo para pedir crédito na plataforma é investir no próprio negócio. Em 2018, mais de 23% das pessoas que solicitaram empréstimo, utilizando um imóvel como garantia, e mais de 17% de quem usou o carro para conseguir crédito tiveram esse objetivo.

Em uma entrevista para o G1, Sergio Furio, CEO e fundador da startup, ressaltou que as fintechs não são uma “modinha”, mas um fenômeno de longo prazo. Ele explica que essas empresas possuem um custo menor do que os grandes bancos, que investiram durante anos na expansão de agências para ganhar relevância no mercado de crédito.

Segundo Sergio, o cliente hoje entende que uma solução digital traz mais comodidade do que encontrar uma agência. Isso reflete em mais facilidade e menos burocracia para quem busca acesso a uma linha de crédito com juros baixos, seja para investir no próprio negócio, trocar dívidas, reformar um imóvel ou realizar algum projeto pessoal.