Todos os artigos > Camara-e.net entra com Ação Direta de Inconstitucionalidade contra as novas regras do uso de patinete em São Paulo
Camara-e.net entra com Ação Direta de Inconstitucionalidade contra as novas regras do uso de patinete em São Paulo
Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) anuncia que entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o decreto provisório 58.750/2019, que, sob o pretexto de regulamentar, acaba por inviabilizar alternativas de mobilidade na cidade de …

Camara-e.net entra com Ação Direta de Inconstitucionalidade contra as novas regras do uso de patinete em São Paulo

Publicado: 17.06.2019 - 20:42, por eCompare.com.br

Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) anuncia que entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o decreto provisório 58.750/2019, que, sob o pretexto de regulamentar, acaba por inviabilizar alternativas de mobilidade na cidade de …

Share on Facebook Compartilhar

Share on Twitter Compartilhar

Share on Linkedin Compartilhar

Send email E-Mail

Print this Imprimir

A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) anuncia que entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o decreto provisório 58.750/2019, que, sob o pretexto de regulamentar, acaba por inviabilizar alternativas de mobilidade na cidade de São Paulo, como o uso de patinetes elétricos.

A medida torna obrigatório o uso de capacetes e proíbe, entre outras coisas, a circulação nas calçadas. Caso as empresas que alugam os patinetes descumpram a lei, podem ser multadas em valores que variam de R$ 100 (pelo não uso do capacete) a até R$ 20 mil (por não fazer campanhas educativas ou expor dados de usuários).

“A tentativa de regular sem a participação dos principais setores envolvidos acaba trazendo uma medida ineficiente que gera dúvidas e coloca em risco as novas e importantes alternativas de mobilidade urbana”, afirma Leonardo Palhares, presidente da camara-e.net e sócio do Almeida Advogados. “É preciso encontrar uma solução que beneficie tanto as empresas que investiram nesse serviço quanto à população, não devendo o poder público interferir de maneira arbitrária”.

Para o presidente da camara-e.net, o setor é prejudicado com uma regulação feita de forma apressada, sem o necessário exercício democrático da participação da sociedade e das empresas para encontrar uma solução viável tanto para a cidade como para a mobilidade compartilhada. “Não ouvir o setor traz prejuízos para a economia periférica e digital, além de prejudicar ainda mais os deslocamentos em uma cidade que enfrenta o caos na mobilidade urbana como São Paulo”, finaliza Palhares.

Tags: Armazenamento Consultoria Entrega Marketplace Performance Plataformas Gestão de Anúncios Atendimento ao Cliente E-Mail Marketing Sistema de ERP Pagamento Online Mídias Sociais Plataforma de E-Commerce Precificação Dinâmica Vitrine Personalizada Serviços Escola Especializada Logística Agência Especializada Redirecionamento de Encomendas Soluções