Todos os artigos > A solução para o incremento da Eficiência Operacional – RPA (Robotic Process Automation)
A solução para o incremento da Eficiência Operacional – RPA (Robotic Process Automation)
Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir Cada vez mais as empresas estão se preocupando com a eficiência no back office com o mesmo cuidado que cuidam dos incrementos em vendas. Isto pode se traduzir em diversas iniciativas já bem conhecidas, como centros de …

A solução para o incremento da Eficiência Operacional – RPA (Robotic Process Automation)

Publicado: 17.05.2019 - 18:58, por eCompare.com.br

Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir Cada vez mais as empresas estão se preocupando com a eficiência no back office com o mesmo cuidado que cuidam dos incrementos em vendas. Isto pode se traduzir em diversas iniciativas já bem conhecidas, como centros de …

Share on Facebook Compartilhar

Share on Twitter Compartilhar

Share on Linkedin Compartilhar

Send email E-Mail

Print this Imprimir

Cada vez mais as empresas estão se preocupando com a eficiência no back office com o mesmo cuidado que cuidam dos incrementos em vendas. Isto pode se traduzir em diversas iniciativas já bem conhecidas, como centros de serviços compartilhados, orçamento base zero, compartilhamento de equipes, terceirizações, BPM (business process management), entre tantas outras ações.

Em qualquer iniciativa de eficiência, inevitavelmente, entramos em discussões de head count que começam pelo span of control (de forma simplificada, análise da estrutura organizacional), que por si só nos dá uma análise fria da estrutura.

Para complementar a análise, identificamos as tarefas realizadas pelas estruturas e tradicionalmente buscamos alternativas de simplificá-las ou de melhorar a utilização do sistema, reduzindo controles manuais e/ou paralelos, centralizando informações.

Atualmente a automação das tarefas através de robôs é uma alternativa relevante que vem somar os resultados à busca de eficiências. Os robôs mais simples podem executar processos de negócio rotineiros, imitando pessoas.

Assim como os profissionais, os robôs têm níveis de maturidade, ou sejam, podem acumular funções cognitivas e inteligência artificial. Eles podem realizar tarefas rotineiras como usuários humanos, como fazer consultas e buscar arquivos em sites (arquivos de nota fiscal, por exemplo), fazer baixas de títulos, calcular rescisões, consultar SERASA, realizar conciliações, entre diversas outras tarefas e transações. Tudo isso com agilidade, assertividade e escala. Mesmo demandando pessoas para darem suporte aos robôs (sim, eles também precisam de ajuste a qualquer mudança no ambiente), a relação custo versus benefício é impressionante.

Mesmo o assunto não sendo tão novo, sua utilização ainda não está disseminada em grande parte das companhias, e embora não pareça, é um tema de muita simplicidade para a implantação.

Com frequência temos sido questionados sobre “por onde devo começar com o RPA?”. Nossa recomendação é sempre a mesma: comece pelo simples. Faça um piloto em processos onde você tenha atividades rotineiras e mais de uma pessoa envolvida. Quanto maior o FTE (full-time equivalent ou o tempo de envolvimento do colaborador por atividades), mais sentido fará o RPA.

E se você faz parte do time que acha que o processo não está otimizado, que robotizar algo que não está eficiente é como “asfaltar caminho de cabra”, esqueça! Buscar eficiência há muito tempo deixou ser opção. Faça por processo, comece devagar, mas comece! É muito mais simples do que você imagina e também temos experiência e convicção de que o retorno financeiro e qualitativo é indiscutível.