Todos os artigos > A importância da cultura do Compliance e seus padrões
A importância da cultura do Compliance e seus padrões
Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir A transparência e boa gestão em uma empresa são as melhores ferramentas no que se refere a tratar com seus diversos stakeholders (grupos de interesse) – sejam internos ou externos. Daí a importância de conduzir as negociações …

A importância da cultura do Compliance e seus padrões

Publicado: 15.04.2019 - 20:41, por eCompare.com.br

Share on Facebook Compartilhar Share on Twitter Compartilhar Share on Linkedin Compartilhar Send email E-Mail Print this Imprimir A transparência e boa gestão em uma empresa são as melhores ferramentas no que se refere a tratar com seus diversos stakeholders (grupos de interesse) – sejam internos ou externos. Daí a importância de conduzir as negociações …

Share on Facebook Compartilhar

Share on Twitter Compartilhar

Share on Linkedin Compartilhar

Send email E-Mail

Print this Imprimir

A transparência e boa gestão em uma empresa são as melhores ferramentas no que se refere a tratar com seus diversos stakeholders (grupos de interesse) – sejam internos ou externos. Daí a importância de conduzir as negociações e abordagens de maneira clara e segura. Portanto, ter uma cultura forte de compliance significa estabelecer códigos de conduta e modos aceitos pela companhia, garantindo padrão e uniformidade na maneira com que os colaboradores se portarão mediante situações de risco, ou, em outras palavras, maior facilidade para seus funcionários no trato com outras entidades.

Em paralelo, por trazer essa transparência de processos, a aplicação do compliance acaba por tornar o negócio mais confiável, com um quadro de colaboradores e parceiros mais conscientes do que estão fazendo. Devido a maior equidade de informações, derrubam-se desconfianças e assumem-se mais segurança nas transações comerciais.

À essa implantação, cabe ao compliance officer gerir melhor o processo, uma vez que ele tem a autonomia para transitar em todos os departamentos e verificar o modo como as atividades são realizadas; extinguindo-se, progressivamente (até a anulação), a cultura arraigada em muitas empresas de “dar um jeito”, cedendo lugar a processos e padrões pré-estabelecidos. Sua ausência, em contrário, gera uma postura muito mais reativa quanto as atividades realizadas, que podem gerar algum desconforto para a organização.

A boa notícia é que já existem ferramentas que facilitam e agilizam processos investigativos, uma vez que a quantidade de dados que deve ser consultada é enorme. Tanto que podemos ver inúmeras ferramentas e soluções surgindo, como é nosso caso com o upMiner, que traz dados de fontes públicas, privadas e pagas em arquivos simples de leitura.

Por fim, volto ao início desse texto para reforçar o quanto é importante que seja estabelecida uma cultura forte e bem estruturada para que a tendência do compliance não seja apenas mais uma ‘regra’ imposta, mas faça parte da atmosfera da empresa, seus colaboradores e toda a sociedade do entorno.